PT  EN













Salão do Pinheiros - Retrofit





































A cidade é a sobreposição de tempos materializados através do conhecimento. O clube pinheiros, em toda sua extensão e com seus diversos elementos não é distinto. Portanto, para uma abordagem inicial, se faz necessário o entendimento desse edificado pré-existente e dos elementos que unem as singularidades consolidadas e possibilitam, àquele que analisa, um entendimento do clube como conjunto e não como edificações dispersas no território.

Nesta busca pelo entendimento do território, ressalta aos olhos a estruturação vertical e natural das circulações que encaminham os usuários, não só às edificações, mas também aos grandes vazios que irrompem de maneira alternada e possibilitam a prática das mais distintas modalidades esportivas.

“O corpo principal, o salão propriamente dito, recebeu um tratamento arquitetônico e estrutural dominante. As linhas verticais, as colunas revestidas de mosaicos de vidro verde, apoiam o anel revestido com pastilhas brancas.”

A sucessão de elementos verticais, tanto naturais quanto aqueles propostos por Warchavchik, estruturam nossa abordagem. Utilizamos os elementos verticais de apoio como os principais elementos estruturantes do projeto. No entanto, a estrutura proposta não espelha o grande vão ou viabiliza o generoso vazio, mas sim faz a intermediação entre a nova intervenção e os elementos existentes, almejando a conformação de uma edificação que se funde ao contexto.

Neste novo momento, se mantém somente o corpo principal da edificação existente. Os demais volumes, que já haviam sofrido demasiadas intervenções, serão retirados e substituídos pela edificação que aqui se propõe. Com esta abordagem, mantivemos o grande salão como área principal de espetáculos, invertendo a posição do palco, acessos e demais áreas técnicas. Através de uma nova estrutura metálica em grid constante, a cobertura se flexibiliza para diferentes atividades, suportando cargas mais elevadas, distintas divisões, e também, reduzindo a altura de seu pé direito, conforme a necessidade do evento.
O novo programa solicitado circunda a edificação existente intermediado pela marquise. Por uma questão de hierarquia, se mantém silencioso, dissolvido em meio à natureza, ao céu e à edificação de Gregori Warchavchik.

A marquise, que delimita a área de intervenção, apoia-se em elementos verticais dispostos em consequência da carga existente no pavimento imediatamente acima. Não variam suas dimensões, mas sim sua quantidade. Desta forma, a demarcação ou o dimensionamento espacial entre os diversos elementos verticais decorre de um espelhamento da condição estrutural.

Na parte superior da marquise se propõe a manutenção do viveiro como uma ferramenta didática de apoio à escola, e também como uma possibilidade de manutenção das conformações do clube, as quais vão além do seu patrimônio construído e atingem seu principal elemento estruturante: a vegetação. A intervenção busca diálogo distinto com a Avenida Brigadeiro Faria Lima, agora atrelado a um novo momento do clube.

“O prestígio do Clube, hoje, não está mais na demonstração de força através de um edifício, mas nos esportes olímpicos e na formação de atletas, o que contrasta com a afirmação de que “a imagem do Salão de Festas voltado para aquela avenida larga, portanto de fácil visualização e reconhecimento, parece ter se consolidado no imaginário urbano no papel de representação principal do Clube Pinheiros”.

Desta forma, se propõe criar um espaço expositivo e foyer em conexão direta com a Avenida Brigadeiro Faria Lima, exaltando e compartilhando os resultados, méritos e conquistas dos atletas do Clube Pinheiros.

A intervenção por nós proposta, pretende circundar a edificação concebida por Warchavchik, lhe adicionando significado e funções complementares. De maneira sutil, exaltamos a verticalidade e a imponência da obra existente através de um novo diálogo entre o salão de festas e seu contexto, acrescentando, assim, mais um capítulo temporal na história do Clube Pinheiros.










AUTORES

Gustavo Utrabo
Pedro Lass Duschenes

EQUIPE

Beatriz Rocha


LUGAR

São Paulo - Brasil


ANO DO PROJETO

2018